2 de agosto de 2009

Ushuaia - dias 0 e 1

  • A viagem foi muito mais longa que esperávamos. Saímos de Cumbica as 10hs da manhã para chegar em Ushuaia as 11 da noite. O vôo não foi direto, fizemos uma escala em Buenos Aires para trocar de aeroporto e uma outra em Terew.
  • Cumbica estava cheio de gente com máscaras. Medo da gripe...
  • O aeroporto de vôos domésticos de Buenos Aires é muito bonito, mas peca pela organização. As informações de embarque mudam a cada minuto. Você precisa ficar muito esperto para não perder o vôo.
  • Os aviões da Aerolineas Argentinas parecem os da velha VASP, lembra? (essa que disse foi a Ana)
  • Quando chegamos em Ushuaia (se diz "Ussuaia" por aqui) não estava muito frio. Quase zero eu acho. Fomos bem recebidos pelo pessoal da operadora turística, um ônibus novo e muito confortável.
  • O Hotel Fueguino é maravilhoso. Muito novo, tudo funciona, aquecimento exepcional, e a localização é perfeita. O silêncio para se dormir bem é total.
  • As tomadas de eletricidade tem um formato incompatível com os nossos aparelhos eletrônicos. Pelo menos aqueles com pinos achatados. Traga adaptadores com pinos cilíndricos e você nao terá problemas.
  • O café da manhã foi nota dez. Tinha até alfajores típicos da região. Comemos bastante porque sabiamos que na montanha seria apenas o almoço, e bem tarde...
  • Saímos as 8h50 da manhã rumo a Cerro Castor. O céu estava escuro. O sol nasce as 9h30 da manhã.
  • O percurso é rápido. São 40 minutos que passam como um relâmpago.
  • Chegamos à base da montanha, ai é o velho roteiro de sempre. Pegar os snowboards, botas e o passe da semana, que é bacana... tem foto e tudo mais.
  • A estação de esqui é gigantesca. Sem dúvida a maior que já fui.
  • Quando chegamos no primeiro nível a Ana já foi fazer aulas de snow, e eu fui para as pistas mais fáceis ali perto da "escuela". Queria estar perto para dar um apoio, tirar fotos, filmar etc. :-)
  • Pausa para o almoço! Terrível! 500.000 pessoas se espremendo em uma dúzia de mesas no restaurante. E muitos ficam ainda guardando lugar para a família inteira. Ai você vê aquela mesa enorme com uma pessoa sentada (e outras milhares em volta com a bandeja na mão esperando para sentar).
  • Gastamos 25 pesos para comer bem e beber água. Não bebo nada além disso na montanha. Já os argentinos tomam vinho e cerveja a valer.
  • Voltamos para o hotel as 6hs da tarde, quase noite. Banho, desabamento na cama... o corpo dói bastante. Vamos sair daqui a pouco para comer. Tem um restaurante aqui do lado que, segundo o guia local é: bom, bonito e barato; então vamos lá conferir.
Algumas fotos aqui.

4 comentários:

Bertha disse...

Olá meus queridos!!!

Que bom ter notícias fresquinhas e geladas de vocês!!
É, pelo visto a única que não está passando frio é a Mariana!

Bjo e tenham uma ótima semana com muito doce de leite!!

Bertha e Eric

marco disse...

Tira umas fotos d vcs em ação no snowboard, daquelas pra pendurar na parede, Aproveitem, Ab's

Anônimo disse...

Caro Rodolpho boa tarde
Vc poderia me dar algumas dicas tipo oque fazer em Ushuaia , melhores lugares etc
abraço
Vinicius

Rodolpho Arruda disse...

Vinícius,

Ushuaia é um lugar minúsculo. Em dois dias caminhando pela avenida principal você já vai ter "mapeado" todas as opções de restaurante, bares, lojas etc.

As atividades e os passeios variam muito de acordo com a época do ano. Por exemplo, o passeio de barco para ver os pinguins só pode ser feito no verão. No inverno não há pinguins... só leões marinhos. Esqui? A mesma coisa... só no inverno.

Boa sorte! Ushuaia é demais! Mudou as nossas vidas, a minha e a da minha mulher.