31 de maio de 2014

Alinhando

Antes de mais nada, gostaria de alinhar uma coisa com você: fazia tempo que não percebia nas minhas andanças por ai um vício de linguagem tão presente.

Só para alinhar isso, o vício é esse bendito verbo "alinhar".

Não importa a situação, o motivo ou a necessidade, sempre alguém irá dizer que algo precisa ser "alinhado". Mas será que é essa a ideia?

O uso mais comum talvez seja agendar uma reunião para então, claro, alinhar algumas coisas. Mas há quem peça ao outro para alinhar coisas sozinho no maior estilo: "Vá e alinhe-se!"

Será que queremos tanto alinhar as coisas assim? Será que a base de todo trabalho é o alinhamento?

Sempre acreditei que o uso desse verbo fosse mais comum em duas situações. Quando era necessário "alinhar expectativas", que acontecia quando uma parte comunicava sua expectativa à outra parte e vice-versa.

O outro uso, que para mim é até coerente, é o "alinhamento de discursos". Sim, é sempre bom ir a uma reunião com os discursos alinhados. Se o seu produto faz "A", é melhor que o seu colega de empresa não diga que o produto faz apenas "B", e assim por diante. Alinhamento, neste caso, cria uma imagem de profissionalismo e treinamento das pessoas.

Porém, a criatividade está em alta. Vamos alinhar tudo, mas acabamos alinhando quase nada. Vejamos.

"Você poderia entrar em contato com ele para alinhar isso?"

Alinhar o que? Talvez você queria que eu comunique algo a ele. Ou, conserte algo do seu interesse. Ou ainda, responda suas questões. Tire suas dúvidas... sei lá.

"Vamos nos reunir na semana que ver para alinharmos."

Quem sabe vamos discutir a solução de algum problema. Vamos criar algo novo? Por que não alterar uma decisão tomada anteriormente? Ou ainda, entendermos o que está acontecendo; para onde a empresa caminha.

Será que as pessoas andam tão limitadas assim? Será que estamos passando por um período de racionamento verbal? Ou será que usar um único verbo num contexto onde pessoas inteligentes trabalham é suficiente para o entendimento das coisas?

Talvez usar mais verbos seja ruim, cafona ou "coisa de gente velha". Não sei. Mas prefiro ter certeza do que as outras pessoas pensam e, principalmente, do que querem.

E parece que o "racionamento" gera outros problemas justamente por promover discursos tão imprecisos. Aposto que estes aí buscando "alinhamento" no dia a dia o fazem porque faltou entendimento básico sobre a ação em si, sobre o que se quer ou o que se espera do outro.

"Estamos com problemas porque faltou alinhamento lá atrás!"

Sério? *risos* Ou será que não faltou criar, criticar, coordenar, solicitar, buscar, firmar, comprar, vender, organizar...? O que, afinal, precisava ser feito?

Estamos alinhados?

Nenhum comentário: